Cultura

Coluna - Wadão Marques
Colunista
Wadão Marques
Pedagogo , autor de poemas e canções Colaborador do Festival de Folclore de Olímpia Premiado em diversos eventos culturais e artísticos
Cultura | 15 fev 2020 - 22:23

 Arte e liberdade, ninguém cala ninguém! A poesia da resistência

Em sintonia com a Semana de Arte Contra a Barbárie e Pela Liberdade Cultural, que será realizada de 11 a 18 de fevereiro em São Paulo e em várias cidades, reunindo diversos artistas, o poeta olimpiense Wadão Marques, através desse portal solta o verbo para engrossar o manifesto contra o obscurantismo.

O Armagedom

Por Wadão Marques

A intolerância, a estupidez, a violência e a ganância

desumaniza, animaliza, crucifica a esperança,

revela a face do mal, o preconceito, o medo, a covardia,

energia do caos , entorpece, atrofia.

A mente insana mente, agressivamente, (Aterroriza)

provoca o atrito, deflagra o conflito

entre credos e ritos, costumes e mitos

diversidade vira adversidade, irmão.

A revolta aflora, a flor da ira desabrocha

espalha terror pelos bares, ruas, lares.

Arrebenta, quebra, queima, saqueia, mata,

exala veneno, vírus, fumaça.

Essa flor corrosiva destrói, devasta, irmão.

Paixão autodestrutiva, atemoriza, aterroriza

Fé submissa absurdamente cega, infame.

A onda de lama invade o mar de sangue

Envenena o mangue, rompe o concreto, propaga o deserto (O inferno).

Transforma o mundo todo em lata de lixo.

Automóvel de luxo em lixo de lata

jardins e praças em campos de guerra,

o anjo da morte agita, grita , berra

Estende a bandeira suja de ódio sobre a face da terra

Paz, irmão!

Mais Notícias