Psicologia

Coluna - Jaqueline Renée
Colunista
Jaqueline Renée
Formada em psicologia pela Unorp - 2016. Psicóloga clínica em atendimento presencial, on-line e domiciliar. Possui diversos cursos, entre eles, libras; psicologia hospitalar; intervenção sistêmica com famílias e grupos; teorias e técnicas psicoterápicas. Tendo realizado palestras sobre: ansiedade; pensamentos positivos e negativos; entre outras.
Psicologia | 28 jan 2020 - 12:33

Mitomania – Compulsão em Mentir

Mentir é o ato intencional de fazer uma declaração falsa.
A maioria das pessoas faz isso por medo de assumirem as responsabilidades de dizer a verdade, mas a mentira compulsiva interfere no julgamento racional, no relacionamento familiar e especialmente social.

Pode-se dizer que a baixa autoestima, necessidade de apreço ou atenção e, a tentativa de se proteger de situações constrangedoras, marquem o início da mitomania.

“Na infância, devido a imaturidade-mental, as crianças podem mentir com alguma recorrência. Muitas delas têm dificuldades em enfrentar certas frustrações e críticas e acabam mentindo para os pais na tentativa de preservar sua autoimagem. Essa característica só assume um caráter patológico quando a criança inclinada à mitomania constata que sua mentira pode ser entendida como verdade sem nenhuma consequência negativa associada. Por outro lado, um sentimento de prazer e de poder pode facilmente incitá-la a repetir o mesmo comportamento”

Esse distúrbio pode ter origem na baixa autoestima da criança e na supervalorização de suas crenças, com o não enfrentamento da angústia ou frustração associada a uma situação.
Muitas vezes para um mentiroso compulsivo, dizer a verdade pode ser totalmente desconfortável e estranho, já que se acostumou a viver de mentiras.

Ele é definido como alguém que mente por hábito, desde a infância. Neste caso, Mentir é a sua forma normal de responder a qualquer pergunta, por mais simples que seja. Algumas vezes são pequenas mentiras, outras são muito elaboradas, cheias de detalhes. Podem esconder a verdade sobre tudo, seja algo grande ou pequeno, onde a própria pessoa acreditar nelas.

Os mitomaníacos podem ser manipuladores, enganando e machucando as pessoas com suas mentiras. Quando descobertas, as pessoas mentirosas se irritam, ficam nervosas e muitas vezes continuam sem falar a verdade, ou até mesmo contam fragmentos da verdade em cima de outra mentira, podendo se afastar para não lidar com a situação e usar a manipulação para que o outro se sinta culpado vindo a assumir a responsabilidade dos motivos da mentira.

Com o tempo quem convive com o mitômano percebe suas mentiras, e o mentiroso pode ter consequências devido à falta de confiança que as pessoas passam a ter, relacionamentos e amizades tendem a ser destruídos e nem sempre podem ser consertados.

As pessoas podem até dar outra chance, mas em algum momento não admitem mais e se cansam das mentiras sem fim.

Mais Notícias